Praia do Forte na Bahia

Localizada a cerca de 50 quilômetros da capital, Salvador, a Praia do Forte é um dos destinos mais disputados da Linha Verde, estrada que segue pelo litoral norte da Bahia, repleta de atrações para quem ama praias.

Bem estruturada, a Vila, como é chamada, pertence aos pedestres, automóveis não circulam por aqui. Ficam estacionados em bolsões. Bicicletas coletivas estão liberadas. Um sistema de tuk-tuk funciona como alternativa aos táxis.

Bons restaurantes e programas para toda a família completam o cardápio. Sem falar nos encantos do movimento da maré, que, quando baixa, deixa piscinas naturais de água morninha, garantindo a festa da criançada e dos marmanjos.

Com faixa de areia clara, alguns trechos rochosos e muitos coqueiros, a orla do Forte se estende por 14 quilômetros de praia preservada.

Tudo gira em torno da Vila, que fica perto do farol, onde turistas e nativos costumam se concentrar ao redor de barraquinhas e bares.

Quem caminhar mais ou menos 15 minutos pelo lado esquerdo vai alcançar um trecho conhecido como Papa-Gente, cheio de recifes formando piscinas naturais.

Nos extremos do lado norte, o mar se abre para outra freguesia: a dos surfistas.

Fotos da Praia do Forte no Flickr

Casa de Tartaruga

Vale ficar atento às estacas numeradas que, ao longo da orla, sinalizam ninhos de tartarugas marinhas.

Foi ali que nasceu o Projeto Tamar, instituição que, há mais de 35 anos, cobre 1.100 quilômetros do litoral brasileiro, para estudar e proteger esses animais ameaçados.

É difícil desassociar o Tamar da Praia do Forte. Na sua sede principal, um dos principais pontos turísticos da região, há aquários e tanques onde vivem quatro das cinco espécies de tartarugas marinhas da costa nacional: tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente e tartaruga-oliva.

Entre outubro e abril acontece o maior espetáculo: filhotes saem dos ninhos e seguem em direção ao mar.

Fora da areia e da água

As pessoas se cruzam nas lojas, nos restaurantes e nos cafés da alameda do Sol, artéria principal da Vila.

Durante o dia, o movimento é grande na praça da igreja de São Francisco, ao lado da praia, onde baianas vendem acarajé, pais de santo dão bênçãos e turistas se movimentam ao sabor do ócio.

Ao cair da noite, o burburinho muda para a outra extremidade: o ponto de encontro é o Bar do Souza, famoso pelos bolinhos de peixe e pelas noites embaladas por axé no caso, a axé music.

Vale tirar o comecinho de uma manhã para visitar o castelo Garcia D'Ávila. Cercado pelo verde da mata atlântica e voltado para o mar, tem um jardim de coqueirais onde restam ruínas e uma pequena capela da construção original, que começou em 1551. Uma gigantesca figueira dá as boas-vindas e um empurrãozinho na imersão histórica naquela que é considerada uma das primeiras fortificações do país.

O fim da tarde é o momento perfeito para contemplar o movimento da praia do Forte, onde a garotada bate sempre uma bolinha para depois se refrescar nas águas iluminadas pelo pôr do sol.

Bahia melhor roteiro para cicloturismo

A Bahia ocupa três entre os dez melhores lugares para pedalar no Brasil, de acordo com o ranking elaborado pelo Bike é Legal, e Litoral Norte se destaca.